Se Vira nos 30 – Comportamentos que prejudicam seu crescimento pessoal + Dicas

6 de dezembro de 2016

Oi, pessoal! Tudo bem com vocês?

Hoje estou aqui para listar para vocês 5 comportamentos que atrapalham o seu crescimento pessoal. Extraí alguns do livro “O Poder da Ação”, do Paulo Vieira, e outros identifiquei com experiências pessoais.

1 – Vitimização

download

Nesse livro que mencionei pra vocês, li algo interessante: Na nossa infância experimentamos alguns momentos de doenças, das mais simples às mais graves. Nessas ocasiões recebemos mais atenção e carinho dos nossos pais. O resultado disso é que nosso subconsciente”entende” que quando estamos fragilizados recebemos mais carinho e atenção e então, na vida adulta, adotamos o comportamento de sempre nos colocar como vítimas de uma situação.

Algumas frases típicas de vitimização:

“Eu vou mal nessa matéria, porque o professor é muito ruim, não dá nem ânimo de ficar na aula dele”;

“Eu estou desanimada com o trabalho porque meu chefe não me reconhece”;

“Eu não estou estudando porque estou cheia de coisas para fazer”.

Percebam que é muito mais fácil jogar a culpa em outros fatores do que chamar a responsabilidade para nós. Afinal de contas é mais fácil se desculpar do que ter que mudar a situação que nos incomoda.

Minha dica é que você procure assumir a culpa de tudo o que acontece com você. Por exemplo, as frases acima podem ser substituídas por:

  • “Eu fui mal nessa matéria porque não absorvi direito o conteúdo, estava distraída na aula, vou procurar outras fontes de materiais para estudar e vou aprender essa matéria!”;
  • “Eu não tenho me empenhado muito para ser reconhecida no trabalho, daqui por diante vou ser pró-ativa e fazer sempre além do que me pedirem”;
  • “Eu estava desorganizada com minhas tarefas, mas hoje mesmo vou fazer uma agenda listando todos os meus afazeres e dar prioridade para o que mais importa”.
2 – Falta de auto responsabilidade

responsabilidade

A nossa mania de sempre encontrar culpados para o que está dando errado na nossa vida (a crise, a escola/faculdade ruim, o emprego sem perspectiva…) nos impede de assumir a postura de protagonistas dos acontecimentos e fazer o que tem quer feito para melhorar.

Se você já se “pegou” dando algum das desculpas acima, proponho que você se faça alguns questionamentos, como por exemplo:

Por que existem profissionais que atuam na mesma área que eu e apesar da crise estão progredindo?

Por que existem pessoas que estudam nos piores lugares e com as piores condições e se tornam profissionais renomados?

Eu não peço que você se compare com ninguém. Isso não é legal e nos deixa mais pressionados, mas é preciso que nós tenhamos algo muito firme na nossa mente: VOCÊ É DONO DA SUA VIDA. Ninguém mais. Tudo o que acontece com você é culpa sua, sim. Acredite, adotando esse comportamento você verá melhoras em todos os setores da sua vida.

3 – Se comparar com os outros

pare-de-se-comparar-1

Quando eu disse no item anterior que não era para se comparar com ninguém, estava falando muito sério. Ta aí outro comportamento que nos prejudica E MUITO!

Nós temos o péssimo hábito de não nos valorizarmos porque achamos que “a grama do vizinho sempre é mais verde”.

Vou dar um exemplo pra vocês:

Eu estudo para concursos, faço 2 pós-graduações, trabalho e gosto de escrever para o blog da Fran, obviamente essas 3 coisas ocupam meu dia.

Aí eu pego uma revista com a Gabriela Pugliesi na capa e fico triste porque lembro que “eu podia estar definida como ela e o verão está chegando, mas não estou e não vou arrasar no biquíni como me prometi quando fiz minhas metas de 2016 kkkk”

Isso me gera uma pressão e uma ansiedade doida de ir pra academia todo dia e fazer mil tipos de aulas para ficar com o corpo definido….

Só que como eu disse antes: Eu trabalho, estudo, faço 2 pós-graduações e gosto de escrever para o blog da Fran. Se eu tentar ter a rotina de exercícios da Gabriela Pugliesi eu vou surtar e se eu não conseguir vou ficar frustada.

Daí me pergunto:

Por quê? Se eu não trabalho com meu corpo e sim com meu intelecto?

Por quê? Se eu sei que indo 3x por semana na academia e indo a pé para o trabalho garanto minha saúde?

Por quê? Se eu sou uma pessoa saudável e não tenho a menor obrigação de parecer algo que eu não sou?

A Gabriela Pugliesi tem o corpo que tem por um motivo muito simples: Ele reflete o fato de que ela adora malhar, vive disso e trabalha com isso.

Não sei se ficou bem claro, mas o que eu quis demonstrar com esse exemplo, é que se nós ficarmos nos comparando com outras pessoas, vamos viver estressados, pressionados (por besteira) e o mais grave: não vamos dar valor para os nossos diferenciais! Que são o que nos faz especial.

Então foque em você, nas suas conquistas. Você vai ver que com essa simples atitude um peso enorme vai sair das suas costas, eu dei o exemplo acima porque foi algo que meio veio à cabeça, mas serve para mil situações na nossa vida. Fique esperta! 😉

4 – Falta de empatia

empatia-neuro

Esse item influencia muito no que fazemos/falamos, principalmente nos nossos relacionamentos afetivos.

Sei que é difícil, mas quando uma pessoa querida te magoar, ao invés de imediatamente inciar uma briga e tentar demonstrar como você ficou terrivelmente chateado com aquilo para que a pessoa se sinta mal, tente se colocar no lugar da pessoa. Pode apostar, se você não faz isso, comece a fazer e você vai ficar surpresa com os resultados!

Pode ser que você chegue à conclusão de que naquela situação você faria a mesma coisa que a pessoa fez, ou até pior! rsrs

Empatia sempre a resolver um conflito. Até porque se você demonstrar que entende o lado da pessoa, ela não vai sentir vontade de te atacar. Vocês vão conseguir resolver o conflito e evitar um próximo.

Muito melhor que iniciar aquela discussão que nós não sabemos onde vai terminar, não é mesmo?

5 – Falar mal dos outros

download-32

Esse hábito é tão feio, mas muito presente na vida de nós. Pior que quando assumimos a postura de não participar de uma conversa em que estão falando mal de alguém, nós somos vistos como “chatos”, não é mesmo?

Mas precisamos lutar contra esse mal, porque assim como a vitimização, falar mal dos outros tira a nossa responsabilidade e consequentemente a necessidade de agir para mudar algo que não vai bem em nossa vida.

Isso é muito comum no trabalho e em términos de namoro. Por exemplo, alguém te pergunta: “Por que o seu namoro acabou?” E você responde falando mal do(a) ex e colocando a culpa nele(a).

Fazendo isso, claramente você não enxergou seus defeitos e pior, não vai fazer nada para corrigí-los. Assim, outros vários relacionamentos vão se acabar e você não vai aprender nada com eles.

Então, ao invés de falar mal dos outros, mais uma vez: foque em você e lembre-se: você é dono da sua felicidade, ninguém mais pode ser responsável pelo seu estado de espírito! Não dê esse poder aos outros.

Fiquem com Deus e até terça quem vem 🙂

beijos, Fran Valente