DIY – Bandeja da Tiffany

25 de agosto de 2017

Quem me acompanha no instagram (@franbgabrielli) viu que esses dias coloquei meus talentos de “faça você mesmo” para funcionar rsrs… Fazia muito tempo que eu queria uma bandeja da Tiffany, mas sempre que olhava nas lojas achava muito caro (em torno de R$ 100.00) e desistia de comprar. Então decidi colocar a mão na massa e fiz minha própria bandeja, gastando apenas R$ 25.00. Vou mostrar aqui para vocês como é super fácil de fazer!

Você vai precisar de:
  • 1 bandeja de MDF – custa em média R$ 7.00 a R$ 10.00;
  • tinta PVA Acrilex branca – a embalagem pequena custa uns R$ 4.00;
  • tinta PVA Acrilex cor turquesa – R$ 4.00;
  • um adesivo da Tiffany – peguei a imagem no Google e mandei imprimir na gráfica (custa em média uns R$ 5.00);
  • pincel.

Dizem que para ficar mais profissional, é bom dar uma lixada na peça antes de pintar. Mas como sou muito ansiosa para muitos passos, já fui logo pintando rsrsrs… Primeiro eu passei uma camada de tinta branca em toda a bandeja e deixar secar (usei o secador de cabelo para agilizar o processo de secagem). Depois passei duas camadas de tinta cor turquesa para a cor ficar bonitona e sem manchas. 

Por fim, colei o adesivo da Tiffany e pronto! Fácil né? Além de decorar a casa, a bandeja também serve de porta perfumes e cosméticos. Ah! e se você quiser dá para colocar espelho no fundo dela. Fica lindo também!

Fiquei super feliz com o resultado! Ah se vocês fizerem me marquem no instagram (@franbgabrielli), assim posso ver e curtir ela!

beijos, Fran Gabrielli

Hoje vou contar para vocês um pouco como foi a introdução alimentar da Alice. Como ela teve muito refluxo (tema para outro post) a nossa gastro pediatra autorizou a começar a dar frutas para ela a partir dos 5 meses. Ela sugeriu iniciar com maça, banana e pera, na forma amassada ou raspada, duas vezes ao dia, geralmente no meio da manhã ou da tarde.

Os primeiros 10 dias foram tensos. Alice não comia nada e cuspia tudo para fora. Já tinham me falado que era normal, mas ainda assim estava preocupada que ela não aceitasse alimentos sólidos. No entanto, passados esses 10 dias ela começou a comer um pouco melhor. Às vezes recusava a fruta de manhã, mas a tarde comia, ou vice e versa.  Mas enfim, para mim já era um avanço.

Quando ela completou 6 meses iniciamos com as papas salgadas. Segundo a médica e alguns livros que li sobre alimentação infantil, a papinha salgada deve conter basicamente cada um dos grupos alimentares abaixo:

Fonte: Pinterest

Vou mostrar para vocês como eu costumo fazer:

Cozinho no vapor (uso aquela máquina própria de fazer papinhas da Vizio):

  • um tubérculo (tento diversificar, por exemplo, um dia batata doce, no outro batata inglesa);
  • duas hortaliças verdes (ex. couve e brócolis);
  • uma hortaliça colorida (ex. cenoura)
  • cebolinha e salsinha para temperar.

A carne eu costumo cozinhar, desfiar bem e congelar ela com o caldinho. Com o feijão faço a mesma coisa. Acho mais prático, porque aí é só descongelar e misturar com os legumes cozidos e amassados (não uso liquidificador). Às vezes pego algumas receitas de livros próprios de papinhas, mas no geral vou fazendo as minhas próprias combinações e adaptações. O importante é ela ficar nutritiva e gostosa (sim, porque se você provar e achar ruim, provavelmente seu bebê também não vai gostar).

A introdução da papa salgada também foi aos poucos, primeiro só almoço e agora com 7 meses almoço e janta. Para a nossa surpresa, a Alice adorou a papa salgada e está comendo super bem. No entanto, voltou a não querer frutas. Além das frutas iniciais, já demos mamão, pera, caqui, manga, damasco cozido, ameixa e ela tem recusado quase tudo. Enfim, estamos na tentativa e não podemos desistir. Mesmo ela recusando, oferecemos todos os dias. Tudo com muita paciência que um dia dá certo rsrs…

Por enquanto, não ofereci e não pretendo oferecer açúcar para a Alice, pretendo evitar até quando puder. Claro que não quero ser neurótica, mas quanto mais tempo demorar melhor, já que ele não traz nenhum benefício nutritivo.

Bom eu acho que é isso. O principal de tudo é sempre ter muita paciência e não ficar comparando o seu filho com outras crianças. Não há como definir um padrão porque ele simplesmente não existe quando falamos de pessoas.  Cada um tem suas particularidades e aceitando isso, todo mundo fica feliz. Além disso, sempre leia, pesquise e inicie da forma que você sentir que deve iniciar. Se não der certo, mude, adapte, readapte, enfim, siga seus instintos e respeite o ritmo e os gostos do seu bebê.

Gostaram mamães? Como foi ou está sendo a introdução alimentar do seu bebê? Deixe nos comentários sua experiência!

E se você ainda não me segue no instagram, segue lá @franbgabrielli.

Super beijo!

 

beijos, Fran Gabrielli

Compras em Ilhota -SC

21 de agosto de 2017

Quem é daqui de Santa Catarina, provavelmente sabe que a cidade de Ilhota é a capital da lingerie. Algumas amigas minhas já tinham ido e comentado que era um ótimo lugar de comprar roupa íntima e biquínis. Há um mês atrás, minha irmã estava em Floripa e decidimos ir até Ilhota para conhecer. E o resultado não podia ter sido melhor: AMAMOS!

Há tantas lojas, que é quase impossível entrar em todas. E sobre aquela perguntinha básica que todo mundo quer saber, os preços ??? Eu respondo, amiga…. os preços são os melhoresss POSSÍVEIS….Vale super a pena.

Eloeth Lingerie

Essa foi a loja que mais gostamos, tanto pela qualidade, como pelo preço. Ficamos enlouquecidas lá dentro! Pensa em 5 mulheres dentro de uma loja fazendo a festa hahaha…. A variedade é tão grande que você acaba se perdendo no que quer comprar. Tudo muito lindo e barato.

Para vocês terem ideia de preços: os sutiãs com renda  ficam na média de R$ 25,00 a R$ 40,00, calcinhas em torno de R$ 10.00 a R$ 15.00. O legal é que eles possuem loja online. Contudo, os preços são  mais caros que na loja física.

Mercadão da Lingerie

Se você estiver em busca de lingerie mais básica, ai a loja certa é o Mercadão da Lingerie. A loja é enorme, dá para se perder lá dentro. Para terem noção dos preços: calcinhas em torno de R$ 1.50 a R$ 5,00, sutiãs R$ 10,00 a R$ 20,00, short doll R$ 12,00. Tudo muito barato mesmo!

Com relação a biquínis, não tivemos tanta sorte assim. Fomos na loja Dal Costa que me falaram ser a melhor. Realmente ela é muito boa! Loja grande, com uma infinidade de opções e peças lindas. Contudo não achei o preço legal. Cada peça do biquíni custava em média R$ 35,00 a R$ 60.00. Por esse valor prefiro comprar biquínis em Floripa. Claro que aí tem que levar em consideração a qualidade, marca e tal. Mas pra ser sincera, gosto de ter biquínis novos todo ano, então não curto comprar conjuntos muito caros.

Dal Costa Moda Praia

Dal Costa Moda Praia

Vale lembrar que há uma infinidade de lojas na cidade, então com certeza deve ter outras lojas de biquínis mais baratos. Se alguém já foi pra lá, conta pra gente como foi a experiência? Gostou? tem alguma loja para indicar?

 

Já viu o post “5 coisas que valem a pena comprar no Aliexpress”?

 

beijos, Fran Gabrielli